Entre 2009 e 2010 o auge das notícias era o fim do mundo no ano de 2012; até os ultimos meses as manchas solares preocuparam muito vários especialistas; o aquecimento global também foi motivo de grandes reportágens, matérias e artigos. Tudo isso apontava para um mesmo fato: o Ano de 2012 e o fim do mundo. Agora, está no topo da lista das reportagens o terremoto acompanhado por tsuname no Japão logo após várias revoluções no Oriente. Seriam esses alguns motivos para começarmos a acreditar no fim do mundo?

Vendo tudo o que acontece da até para pensar um pouco nessa possibilidade, porém, vários especialistas já começaram aesclarecer os fatos. O site Apollo 11 já publicou algumas matérias referentes a esses temas e de acordo com as matérias publicadas esses fenômenos, que mais parecem presságios do apocalipse, não são tão apocalípticos assim. De acordo com o site Apolo 11 não é a incidencia de terremotos que está aumentando, mas sim a eficiência na detecção desses fenomenos naturais. Com relação as manchas solares, o site também fala que o perído de calmaria solar já está acabando e novas manchas solares já foram detectadas. Para esclarecermos também o que anda acontecendo no Japão, basta nos lembrarmos das nossas auls de geografia do ensino fundamental e médio, onde aprendemos que o Japão é formado por três ilhas que se encontram em uma fenda entre placas tectônicas. Sobre 2012 Eduardo Natalino dos Santos, professor de história da América Pré-hispânica da USP afirma em entrevista para Galileu:

“O calendário de conta longa é apenas um entre os vários que os maias usavam. Assim como os nossos meses, anos e séculos, ele se estrutura em unidades de tempo cada vez maiores. Cada 20 dias formam um “mês”, ou uinal. Cada 18 uinals, 1 tun, ou “ano”, cada 20 tuns faziam um katun e assim sucessivamente. Enquanto o nosso sistema de contagem de séculos não leva a um fim, o calendário de conta longa maia dura cerca de 5.200 anos e se encerra na data 13.0.0.0.0, que para muitos estudiosos (não há um consenso a respeito) corresponde ao nosso 21/12/2012.

Isso não significa que eles esperassem pelo fim do mundo naquele dia. “Os povos ameríndios não tinham apenas uma concepção linear de tempo, que permitisse pensar num fim absoluto”, diz Eduardo Natalino dos Santos, professor de história da América Pré-hispânica da USP. “Em nenhum lugar se diz que o ciclo que estamos vivendo seria o último.” A maioria dos estudiosos acredita que, após chegar à data final, o calendário se reiniciaria. Assim como, para nós, o 31 de dezembro é sucedido pelo 1 de janeiro, para eles o dia 22/12/2012 corresponderia ao dia 0.0.0.0.1. [Galileu]”

De acordo com todos esses fatores podemos agora acreditar, com maior facilidade, que todos essas teorias podem não ser assim tão verdadeiras, mas apenas uma forma de adquirir lucro com a venda de filmes, livros, revistas e jornais. Dessa forma movimenta-se a industria da informação, uma das mais lucrativas do mundo.

Para obter mais informações cobre os temas acesse:

http://www.apolo11.com/spacenews.php?posic=dat_20090602-093216.inc

http://www.apolo11.com/curiosidades.php?posic=dat_20070618-101150.inc

http://hypescience.com/profecia-maia-calendario-2012/

Anúncios